fbpx

Angola destaca-se na competição mundial de robótica

Angola

Em representação de Angola, um grupo de estudantes angolanos do Itel, acompanhado por três mentores, alcançou o segundo lugar na competição mundial de robótica designada FIRST Global Challenge 2023.  

FIRST Global é um desafio que acontece todos os anos em países diferentes onde 190 equipas constroem e programam um robô, que realiza diferentes tarefas de acordo com o tema baseado nos grandes desafios de engenharias.

Para este ano, o concurso teve como objectivo levar a uma educação e responder aos desafios do tema Hydrogen Horizons, que visa estimular a inovação e as soluções para as energias limpas e renováveis.

Trata-se de uma competição que reuniu estudantes de 191 países, de 7 a 10 de Outubro, em Singapura, e é a quinta vez que Angola participa, sendo que fora o segundo lugar,  o grupo foi distinguido com o prémio “Social Media Awards”.

A equipa foi composta pelos estudantes Marco Manuel, Joaquim Júnior, Luís da Silva, Edmilson Marques e Clevânio, e pelos mentores Cristóvão Cacombe, Irene Carindi e Marco Zeca, e apresentou “Palanquinha Robot”, que encantou o corpo do jurado.

A ida dos jovens à competição, foi através da Startup Angola Robótica Tecnologia (Arotec),  que selecionou os alunos baseado nas equipas vencedoras do campeonato nacional, em Angola, de robótica 2021/2022, de acordo com Jonilson Correia, director tecnológico da Arotec.

Para Jonilson Correia, a conquista representa “um completo trabalho de equipa” e revalida os esforços feitos ao longo dos preparativos para mais uma participação angolana na competição.

“Na verdade, o Campeonato Mundial de Robótica não começa em Singapura, mas a partir do momento em que as equipas se inscrevem, há uma série de desafios que a própria organização do evento apresenta àqueles que se inscrevem. Neste caso, há desafios relacionados com as redes sociais, com o grau de envolvimento das equipas…”,

explica em entrevista a Bantumen.

Leia também:


Os alunos contaram com a ajuda de todos os participantes das edições anteriores, com vista transmitir da melhor forma possível o verdadeiro conceito do campeonato e as suas experiências.

“Queremos ser grandes engenheiros…”

Para Luís Silva, representante do grupo, a conquista é resultado de um esforço colectivo e há enorme honra em colocar o nome de Angola no pódio do Campeonato Mundial de Robótica. 

“Enquanto estudantes, esta conquista representa todo o esforço que temos feito para chegar ao mais alto nível. Queremos ser grandes engenheiros e para isso temos que trabalhar muito…É uma honra estar ao mais alto nível e ter levado Angola ao pódio do Campeonato Mundial de Robótica pela primeira vez”,

revelou.

Jonilson Correia assume que vencer uma competição de robótica, representa a esperança de uma Angola mais desenvolvida quando se fala da tecnologia. Com esta conquista, a startup Arotec quer inspirar as futuras gerações de estudantes a buscar conhecimento, criatividade e excelência em tecnologia, abrindo caminho para um futuro nacional inovador.

A Arotec é em si resultado da competição quando Jonilson, junto dos outros membros, representou Angola pela primeira vez na competição em 2018, nos Emirados Árabes, onde após a participação resolveram criar a Arotec.

Fonte Bantumen

Revista Kabum Digital Banner
Artigos relacionados

Subscreva-se à nossa newsletter. Fique por dentro da tecnologia!

Total
0
Share