fbpx

Comunidade de Desenvolvedores da Google regressa ao ISCTEM

Suely Buque

Google Developer Student Clubs (Clubes de estudantes programadores Google) é o nome que se dá aos grupos universitários para estudantes interessados em tecnologias de programação Google que estão de regresso ao Instituto Superior de Ciências e Tecnologia de Moçambique (ISCTEM) após dois anos inactivo.

Naquilo que são os objectivos desses grupos ou comunidades, os membros do Google Developer Student Clubs (GDSC) contribuem uns aos outros sobre matérias ligadas a Aprendizagem automática, desenvolvimento de aplicações para Android, Google Cloud, Flutter e outras tecnologias interessantes através de eventos e hackathons.

Neste que é o regresso, tem como líder a jovem e estudante do primeiro ano de Engenharia Informática naquela instituição Suely Buque que à Kabum, revelou que o regresso desta comunidade é em resposta a falta de um espaço que conecta os estudantes “não só como estudantes de engenharia, mas como pessoas apaixonadas por tecnologia”, conta.

Não está sendo nada fácil, é como Suely Buque define a tentativa de trazer a comunidade de volta aos holofotes, onde a cada dia mais uma comunidade tenta ganhar espaço e garantir o fortalecimento do ecossistema de tecnologia em Moçambique.

Nesta nova fase, mais que inovar, a equipa vai correr contra tempo e fazer o que os outros já fazem eventos regulares, presenciais ou virtuais na expectativa de colocar os estudantes do ISCTEM engajados, isto por estas iniciativas não serem comuns em instituições de ensino privados, sendo este um dos maiores desafios no processo.

Em pontapé de partida, o primeiro evento desde a ressuscitação desta comunidade, a 

A organização realizou, no início de Setembro, de forma online, a sessão informativa em colaboração com a GDSC da Universidade Pedagógica com vista apresentar detalhes cruciais do desenvolvimento e a importância de fazer parte de comunidades de programadores.

Suely liderará a GDSC ISCTEM até 2024, ou seja, tem apenas um ano para cumprir com a meta de tornar realidade a ressurreição desta comunidade naquela instituição.

Em análise sobre o papel do ISCTEM na formação de talentos em tecnologia, Suely deixou ficar que é uma das instituições que está colocar em Moçambique e não só “engenheiros bons na área da tecnologia”, sendo um dos exemplos o  Rosário Fernandes, o moçambicano que actualmente faz parte de Google, e é este a capa ou exemplo que tem e assim guiar os estudantes da instituição a acreditar no sucesso em apostar numa carreira em tecnologia.

Leia também:


Com o GDSC, a ideia é dar aos estudantes mais um espaço onde possam recorrer em casos de dificuldades com algumas matérias ou dificuldades com algumas plataformas de programação, tendo se assim quem possa ajudar. 

Cada dia que passa, uma nova comunidade surge em Moçambique, para Suely Buque uma das vantagens destas comunidades é a possibilidade de poder criar conexões.


“Comunidades são uma família, onde todos dias conhece uma pessoa nova, aprende algo novo e, mais tarde, essas pessoas podem te ajudar com experiências que já tiveram.”

Suely Buque

Anteriormente à liderança desta comunidade e ingressar na ISCTEM, passou por uma formação nos Estados Unidos da América. Teve início a sua jornada em tecnologias através do programa “Code Like a Girl” de uma das operadoras moçambicanas de telefonia móvel. 

A sua ambição enquanto desenvolvedora é ser um dos nomes a respeitar em Moçambique, e que o seu percurso sirva de inspiração para outras mulheres, e pretende deste modo abrir portas para mais raparigas.

Faz parte da lista das novas promessas da tecnologia moçambicana publicada pela Kabum neste ano, como parte de norteamento das vozes emergentes e que merecem a atenção do público quando o assunto é tecnologia moçambicana.

Revista Kabum Digital Banner
Artigos relacionados

Subscreva-se à nossa newsletter. Fique por dentro da tecnologia!

Total
0
Share