fbpx

Moçambique na lista dos países com a internet mais lenta

Internet

Moçambique está na lista dos 10 países com a internet mais lenta ao nível do continente africano segundo os últimos dados divulgados pelo portal Africa Business e baseadas nos dados do Índice Global Speedtest.

O estudo está ligado com a velocidade de internet para dispositivos móveis e dos países listados, Moçambique aparece em sétimo lugar com a velocidade da Internet (Mbps) de 18.31 e está na posição 120 a nível mundial, com dados  em referência ao início de 2024. 

Sudão ocupa a primeira posição como o país com a internet lenta, com a velocidade de 4,82 Mbps  , seguido por: Angola (10.89), Camarões com 13.97; Líbia (15.09); Ghana (16.43); Zâmbia (16.95); República Democrática do Congo (18.40); Algeria (20.86) e Somália com 21.80, posicionando-se como a melhor na lista. 

Através deste estudo, o site Africa Business Insider considera que essa lentidão tem sido prejudicial na produtividade e na inovação, limitando  “o crescimento das empresas e dos empreendimentos empresariais que dependem das plataformas digitais para acederem ao mercado e serem eficientes”, escreve em artigo, adicionando que afecta também a educação e os cuidados de saúde, dado o crescimento das soluções digitais nestas áreas..

O estudo ressalta que embora haja evolução na penetração da Internet e dos dispositivos móveis em África, a questão do acesso adequado à Internet continua como um dos desafios, concretamente em zonas rurais em que a cobertura de rede móvel/internet é quase inexistente. 

“Enquanto as zonas urbanas do continente são sinónimo de velocidades de Internet relativamente mais rápidas, as comunidades rurais não gozam dos mesmos privilégios”. 

lê-se no artigo.

Outras notícias:


O site ainda aponta que os custos dos dados (pacote de internet) em relação aos níveis de rendimento representam um obstáculo significativo ao acesso à Internet para muitos africanos.

Ao nível de Moçambique, os dados são divulgados numa altura que se tornou debate o possível reajuste dos preços para aceder à internet, com a autoridade reguladora das comunicações a assumir que apenas serão estabelecidos limites nos preços, na oferta destes serviços, pelas operadoras de telefonia móvel.

Para a instituição, a ideia da subida das tarifas pode estar associada à falta de informação dos custos actuais destes serviços da parte das operadoras e assume que as tarifas praticadas agora estão abaixo do custo de serviço.

A Internet é composta por redes de computadores espalhadas por todo o planeta que trocam dados e mensagens. A Internet utiliza linhas comuns de telefone, linhas de comunicação privadas, cabos submarinos, canais de satélite e outros meios de telecomunicações.

Fonte Business Insider

Artigos relacionados

Subscreva-se à nossa newsletter. Fique por dentro da tecnologia!

Total
0
Share