fbpx

“Ninguém muda o mundo trabalhando 40 horas por semana”, Elon Musk

Elon Musk
Elon Musk, CEO da Tesla, SpaceX

Conhecido pela sua ética de trabalho excecional, trabalhando muitas vezes longas horas com poucas horas de sono, Elon Musk, CEO da Tesla, SpaceX, acredita que “Nunca ninguém mudou o mundo com 40 horas por semana”. 

O empreendedor e bilionário sul-africano acredita que para mudar o mundo é necessário um empenhamento extraordinário para além das 40 horas de trabalho semanais tradicionais. 

Através da promoção das suas empresas nas redes sociais, há alguns anos, Musk declarou no X, anteriormente Twitter, que “há sítios muito mais fáceis para trabalhar, mas nunca ninguém mudou o mundo com 40 horas por semana”.

A modalidade de trabalho de Musk tem sido motivo de debate e críticas consideráveis ao longo dos anos. Durante o período de produção do Tesla Model 3, Musk trabalhou 120 horas por semana, a falhar marcos pessoais e a recorrer a medicação para gerir a insónia.

O empreendedor divide o dia em incrementos de cinco minutos, na busca pela optimização de cada momento para obter produtividade, uma caraterística admirada por alguns mas vista como insustentável por outros.

Há muito que a indústria tecnológica celebra esta cultura de trabalho intenso, muitas vezes tornando pouco nítida a fronteira entre o trabalho e a vida pessoal.

Esta dedicação é vista como um motor para a inovação, mas também levanta questões sobre a sustentabilidade neste estilo de vida.

Nomes sonantes da tecnologia são conhecidos por renunciarem às refeições tradicionais em prol da eficiência, assumindo um estilo de vida em que o trabalho predomina em todos os aspectos da vida.

Na tentativa de Musk em aplicar a mesma filosofia de trabalho na rede social X, com exigência que os empregados se empenhem ou se demitam, resultou numa saída significativa de pessoal, indicando um potencial desalinhamento entre a sua ética de trabalho e as expectativas da força de trabalho.

Outras notícias:


Em oposição a esta ideia de que longas horas de trabalho são essenciais para alcançar o sucesso, a investigação e as evidências históricas sugerem que as longas horas de trabalho não equivalem necessariamente a uma maior produtividade ou a um melhor desempenho profissional. 

Os estudos revelam que o aumento da intensidade do trabalho e os horários prolongados podem prejudicar a qualidade do trabalho, conduzir a uma diminuição do estado de alerta e reduzir a produtividade geral no local de trabalho.

Elon Musk é uma das pessoas mais ricas do mundo, com um patrimônio líquido estimado em bilhões de dólares em março de 2024, de acordo com o Bloomberg Billionaires Index, e a Forbes,  devido às suas participações na Tesla e na SpaceX.

Neste ano, Elon Musk perdeu a sua posição de homem mais rico do mundo pela primeira vez, após nove meses na liderança, quando perdeu uma parte significativa do seu patrimônio líquido quando as acções da Tesla, tornando Jeff Bezos a pessoa mais rica do mundo.

Entre os que continuam a defender a lógica, alguns líderes têm vindo a aconselhar aos profissionais que talvez não seja este um bom caminho a seguir, ajustando-se à modalidade normal.

Bill Gates, co-fundador da Microsoft, por exemplo, revelou certo arrependimento por ter dedicado a sua vida intensamente ao trabalho, onde aconselhou aos jovens para que não se sintam preguiçosos quando há oportunidade de tirar uma folga. 

A aplicação de uma intensidade fora do normal ao longo dos anos, Bill Gates acredita que pode não ter sido totalmente saudável, nem para ele, nem para as pessoas à sua volta.


Fonte Business Insider

Revista Kabum Digital Banner
Artigos relacionados

Subscreva-se à nossa newsletter. Fique por dentro da tecnologia!

Total
0
Share