fbpx

Rebelo Mulweli: a tecnologia como aliada no desenvolvimento da sociedade

Rebelo Mulweli encontrou nas Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) o ingrediente certo para aproximar as instituições dos cidadãos, remover as barreiras e assim contribuir no desenvolvimento da própria sociedade.

Como exemplo desta ambição, está a sua actuação na Ologa Sistemas Informáticos, sediada na capital do país (Maputo) e com delegações nas cidades de Tete e Nampula que usa a tecnologia para o desenvolvimento de soluções para projectos de carácter social e económico.

Trata-se de uma solução ligada ao desenvolvimento de soluções para projectos que trabalham com crianças órfãs e vulneráveis, agricultura, mulheres, raparigas e literacia digital.

Uma das soluções desenvolvidas foi a Plataforma de Pagamentos Digitais para feiras agrícolas rurais, requisitada pela International Development Enterprises (iDE Moçambique), organização que promove o aumento sustentável da renda dos pequenos agricultores nas zonas rurais.

Num cenário em que o produzido durante as feiras agrícolas era feito de forma manual, a Ologa digitalizou todo o processo, introduziu e distribuiu telemóveis a todos os fornecedores, para além de cartões digitais (NFC) aos agricultores, carregados com o dinheiro virtual. Cada compra passou a ser efectuada e registada através de um simples toque do cartão NFC no telemóvel, e no final da feira, o sistema calcula automaticamente as vendas feitas por fornecedor, recebendo este imediatamente o valor referente às suas vendas.

A Ologa desenvolveu, também, uma plataforma electrónica de apoio à criança, que é utilizada por algumas ONG e instituições públicas, tais como a FHI360, financiada pela USAID, N’weti, Fundação para o Desenvolvimento da Comunidade (FDC), Ministério do Género, Criança e Acção Social (MGCAS), entre outras.

Denominada eMAC (Matriz de Avaliação da Criança), a plataforma permite o registo de crianças órfãs e vulneráveis, seus agregados familiares, assim como o levantamento das necessidades com base em metodologias internacionais. Posteriormente, é desenhado um plano de acção com base nas prioridades identificadas.

No distrito de Jangamo, província de Inhambane, através do MGCAS foi possível perceber, défice de habitação adequada, o que permitiu priorizar os esforços para campanhas de melhoria de casas para as crianças desfavorecidas.

Para Rebelo Mulweli  a Ologa destaca-se pelo facto de conhecer o ecossistema moçambicano, particularmente nas zonas rurais e recônditas, bem como por dispor de uma equipa que actua em todas as fases do processo (análise das necessidades, desenvolvimento e implementação das soluções e o acompanhamento).

E mais do que isso: “Nós procuramos desenvolver soluções completamente inovadoras e diferentes das de muitas empresas, que se limitam a sistemas de gestão e contabilidade. A Ologa procura fazer diferente”, realça.

Do seu percurso, está um histórico comprovado de trabalho nas indústrias de tecnologia da informação, desenvolvimento de negócios e agricultura. Experiente em Negociação, Planejamento de Negócios, Gerenciamento, Desenvolvimento de Negócios e Telecomunicações. com Bacharelado em Comércio (B.Com.) focado em Sistemas de Informação de Gerenciamento pela Universidade de Cape Town.

Fonte: Standard Bank

Artigos relacionados

Subscreva-se à nossa newsletter. Fique por dentro da tecnologia!

Total
0
Share