fbpx

Zimbabwe pronta para lançar três satélites ao espaço

Satélite
Satélite no espaço

Alinhado com a sua expansão no espaço, o país africano Zimbabwe pretende lançar nos próximos meses, mais três satélites. 

Um dos satélites, designado ZimSat-2, de observação da Terra, está em desenvolvimento com recursos avançados e tem lançamento previsto para o final deste ano. 

Já os outros dois satélites estão actualmente na fase inicial de produção, após a aprovação do governo do Zimbabwe. 

De acordo com Mthuli Ncube, Ministro das Finanças e Desenvolvimento Económico do Zimbabwe, para este novo avanço, o país está a colaborar com o Japão na garantia da integração de todas as partes móveis e preparar o terreno para que o país também fabrique os seus satélites de forma independente, como também para formar licenciados zimbabuanos na área.

“O Japão foi parceiro do Zimbabwe no desenvolvimento do nosso satélite espacial. Agora, estamos avançando para a segunda fase de construção de outro satélite espacial, novamente com o apoio do Japão, que tem treinado nossos graduados nesse sentido. Estamos a trabalhar em mais satélites, com mais três a caminho”,

disse  Mthuli Ncube.

Em comunicado separado, Painos Gweme, o coordenador da Agência Nacional Geoespacial e Espacial do Zimbabué (ZINSGA), confirmou que a agência está a trabalhar com vários parceiros para conceber, fabricar, montar, testar e lançar satélites de acordo com a estratégia espacial nacional do Zimbabwe.

“O programa de investigação colaborativa está a ser feito para construir a nossa capacidade humana local capaz de projectar, fabricar, testar e lançar satélites, estabelecer estações terrestres, monitorar e controlar satélites ao longo da sua vida em órbita”,

disse. 

Espera-se que até junho deste ano, seja possível obter-se feedback concreto sobre o progresso do segundo satélite. Com estes satélites de observação da Terra, o objectivo é fornecer dados científicos da situação actual daquele. 

Outras notícias:


O segundo satélite também será um satélite de observação da Terra com mais capacidades que o ZimSat-1. O satélite terá sensores mais avançados que o primeiro e a resolução da imagem será melhorada. 

O primeiro satélite a ser lançado no trio, ZimSat-2 irá garantir que as competências locais sejam desenvolvidas e que a transferência de tecnologia seja realizada e localizada. Acima de tudo, teremos a continuidade garantida do monitoramento da paisagem nos próximos dois a quatro anos”, elaborou Gweme.

O novo desenvolvimento surge depois de o país da África Austral ter lançado com sucesso o ZimSat-1, o seu primeiro satélite de observação da Terra, para o espaço em novembro de 2022. 

O satélite ZimSat-1 é um cubesat educacional de observação da Terra concebido para mapear o uso e a cobertura do solo e monitorizar a qualidade da água, transmitindo dados da órbita para o centro de comando na estação terrestre de Mazowe. Até ao lançamento, tornou-se fundamental em iniciativas de mapeamento agrícola e mineiro.

O ZimSat-1 foi lançado a partir das instalações de lançamento da Administração Nacional da Aeronáutica e do Espaço dos Estados Unidos (NASA), na Virgínia, a bordo da Cygnus NG-18, uma nave espacial não tripulada que presta serviços de reabastecimento de carga.

O satélite foi construído por engenheiros zimbabweanos que trabalham em colaboração com o Instituto de Tecnologia de Kyushu, no Japão, e com a Agência de Exploração Aeroespacial do Japão, no âmbito de um programa conjunto de satélites globais multinacionais BIRDS.

Para além dos três satélites que poderão ser lançados futuramente, o país planeia a apresentação de mais satélites para a sua presença no espaço. 

Fonte Africa News TechPoint

Artigos relacionados

Subscreva-se à nossa newsletter. Fique por dentro da tecnologia!

Total
0
Share