fbpx

Criador do Twitter revela que Elon Musk está destruir a rede social

Dorsey

O cofundador do Twitter, Jack Dorsey, que apoiou publicamente a compra da rede social por por Elon Musk, criticou recentemente a forma como este tem liderado o negócio.

Questionado se Musk provou ser o melhor administrador possível para a plataforma, Dorsey disse: “Não. Também não acho que ele agiu bem logo depois de perceber que seu timing era ruim. Também não acho que o conselho deveria ter forçado a venda.”

Durante o processo de compra, Musk tentou se retirar do negócio, o que resultou numa batalha legal entre a empresa e o bilionário, antes que a aquisição fosse de fato concluída pelo preço da oferta original.

“Deu tudo errado”, escreveu Dorsey no Bluesky, a alternativa que decidiu criar após a saída do comando do Twitter encabeçando.

Jack Dorsey afirmou também que o plano de verificação de usuários lançado por Musk “é uma armadilha”

O co-fundador acrescentou  ainda que está feliz que novas plataformas de mídia social como a Bluesky estejam sendo construídas. Dorsey apoia a Blue Sky desde 2019, quando ainda atuava como CEO do Twitter.

Elon Musk, que também é o CEO da Tesla e da SpaceX, atraiu a atenção dos holofotes pela  aquisição do Twitter de 44 bilhões de dólares no final do ano passado. 

Os cortes acentuados nos postos de trabalho, as mudanças radicais nas políticas e nas funcionalidades de Musk abalaram a confiança de anunciantes, políticos e celebridades, entre outros, o que levou Dorsey a acrescentar que a compra foi uma escolha errada.

No entanto, Musk não respondeu a um pedido de comentário sobre as observações de Dorsey aquando da sua passagem no programa “Real Time With Bill Maher”, na HBO, onde falou sobre temas como o tempo que passou à frente da empresa. Agora, a rede social conta com uma nova CEO. 

Quanto às medidas que tomou após assumir o comando, o empreendedor revela que a empresa estava numa via rápida para a falência. Por isso, tive de tomar medidas drásticas. Não havia outra opção”, diz citado pelo Washington Post, jornal americano.

Pouco depois de ter feito a melhor e última oferta para comprar o Twitter por 44 mil milhões de dólares, ou cerca de 54,20 dólares por acção, Musk tentou desistir do acordo que fez para comprar a empresa.

Para o fazer, teria de pagar uma penalização de mil milhões de dólares, também conhecida como “taxa de separação”, e provar a um tribunal de Delaware que tinha uma boa razão para se afastar. 

Apesar de Musk ter levado o assunto a tribunal, acabou por avançar com o negócio na mesma, tanto que recentemente revelou que comprou para evitar os processos de resultaria o cancelamento.

Fonte CNBC

Artigos relacionados

Subscreva-se à nossa newsletter. Fique por dentro da tecnologia!

Total
0
Share