Pedro Lopes e a digitalização de Cabo Verde

Pedro Lopes

No caminho da digitalização, em Cabo Verde, país lusófono no continente africano, há um nome que se destaca no processo, Pedro Lopes, actual Secretário de Estado para a Economia Digital do Governo de Cabo Verde.

A sua aposta na digitalização está ligada na busca por formas claras e inovadoras de resolver problemas do país com poucos recursos, mas que beneficia a população, pensando-se aqui nas vantagens do processo em si.

Durante a pandemia, assistiu de perto o processo da digitalização dos serviços sociais como educação (aulas online) onde garantiu a integração da população ao acesso a estes serviços no formato digital de uma crença pessoal que “toda economia vai ser digital”, considerou em conversa no Marcas Por Escrever.

Do processo da digitalização da terra do crioulo, revela que este conta com mais de 80 aplicativos governamentais concebidos para ajudar a sociedade no acesso a serviços públicos, apoio a startups de base tecnológica que conta com a construção de um parque tecnológico onde se privilegia a inovação e incentivo do empreendedorismo, melhoramento da qualidade de internet e aposta na formação dos jovens através do projecto Weblab Cabo Verde que capacita jovens na construção e desenvolvimento das Tecnologias de Informação (TICs), qualificando-os assim a saber utilizar, construir e acima de tudo aprender a olhar a tecnologia como o futuro. 

Na lista, está também a criação da Cabo Verde Digital que acompanha iniciativas públicas, que vão desde a escola de codificação para jovens a bolsas de estudo para criar empresas, e apoio público para atrair investimentos digitais ao país. A agência promove valores de inovação com o objectivo criar um núcleo digital líder no continente africano.

Através do Cabo Verde Digital, o país tornou-se em 2021, no único ao nível do continente africano que marcou presença no Web Summit, maior conferência anual da Europa em tecnologias.

Dentre os primeiros passos, está a sua participação na organização do “Africa Innovation Summit -AIS” como Diretor da “African Innovation Exhibit ” e como Director-adjunto da Cimeira de Inovação Africana; Fundação da Geração B-Bright, projeto de empoderamento e consciencialização  da juventude para a participação cívica e reforço de competências. 

É também o detentor da licença e organizador do primeiro TEDx de Cabo Verde, maior plataforma de partilha de ideias do mundo. E em 2017, através do TEDx Praia foi nomeado, vencedor dos Prémios “Somos Cabo Verde – Os Melhores do Ano” na categoria de Inovação e Empreendedorismo.

Ainda neste percurso, foi selecionado  como um dos 100 Afrodescendentes mais influentes do Mundo com menos de 40 anos pela MIPAD de New York no âmbito da década internacional dos Afrodescendentes proclamada pelas Nações Unidas.

Subscreva-se à nossa newsletter. Fique por dentro da tecnologia!

Total
9
Share