fbpx

Retirada de pacotes ilimitados busca evitar colapso de comunicações, diz INCM

Internet em Moçambique
Telemóvel com apresentação dos pacotes de dados de uma determinada rede

Numa altura em que os consumidores dos serviços ainda buscam por retornos dos preços e ofertas anteriores no acesso à Internet e serviço de voz, como é o caso dos pacotes ilimitados, a INCM já pronunciou-se e revelou que o fim destes busca evitar o “colapso do mercado e a concorrência desleal”.

O pronunciamento foi feito pelo Presidente do Conselho de Administração (PCA) do Instituto Nacional de Comunicações de Moçambique (INCM), Tuaha Mote, nesta terça-feira, 7 de Maio, após a orientação às operadoras das telecomunicações para o reajuste nas taxas de ofertas desses serviços. 

O PCA, citado pelo Diário Económico, realça que os preços das comunicações telefónicas não são mais os mesmos, e a retirada dos pacotes ilimitados foi para evitar o colapso das comunicações e acelerar a economia no país. 

“Banimos a implementação de pacotes ilimitados, que estavam a prejudicar a economia. Os pacotes de 30 dias continuam, mas o consumidor não pode falar de forma ilimitada a ponto de lhe custar zero”,

explica o actual PCA.

De acordo com a autoridade, caso deixassem o mercado como estava, poderia resultar num colapso onde o mercado ficaria com apenas uma operadora em resulta de uma concorrência onde os adversários estariam ameaçados a extinção.  

No âmbito do decreto da autoridade reguladora para o reajuste das tarifas, a autoridade reguladora fez saber que os serviços de dados, voz, sms estariam baratos, porém, o que se vê através dos consumidores é um reajuste que está-lhes apertar nas contas. 

Outras notícias:


Inicialmente, no que seria a introdução de tarifas com valores mínimos, o preço médio de serviço de dados (megas) reduz de 2,30 meticais por megabyte para 1,08 meticais, o do serviço de voz (chamada) baixa de seis meticais por minuto para cinco meticais, enquanto isso de serviço de mensagens baixa de 1,70 meticais para 1,10 meticais.

Para os consumidores, essa descida não se vê, sendo que gastam mais. Num inquérito conduzido pela Kabum Digital, os internautas ilustraram como têm sido estes gastos e as mudanças das ofertas. 

Com o fim dos pacotes ilimitados, as operadoras introduziram a não validade em alguns pacotes, onde oferecem internet e minutos sem validade, porém, não tem convencido os utilizadores, pois ainda que sem validade, não significa a permanência dos dados por muito tempo.

Fonte Diário Económico

Revista Kabum Digital Banner
Artigos relacionados

Subscreva-se à nossa newsletter. Fique por dentro da tecnologia!

Total
0
Share